×

Band Eleições desta segunda recebe pré-candidato a Presidência Henrique Meirelles

Fonte: Redação Cabine Cultural

Nesta segunda, dia 18 de junho, à 00h25, o Band Eleições entrevista o ex-ministro da Fazenda e pré-candidato à Presidência da República pelo MDB, Henrique Meirelles. Apresentação de Rafael Colombo e, na bancada, os jornalistas Fábio Pannunzio e Julia Duailibi.

O programa, dos mais interessantes, é obrigatório para todos que queiram conhecer melhor todos os possíveis candidatos ao maior cargo executivo do país.

Henrique Meirelles

Com uma juventude marcada por atuações públicas, quando fez parte do movimento estudantil de Goiânia e liderou greves contra o preço das passagens de ônibus e de material escolar, e influenciado por uma família de políticos – seu avô foi prefeito de Anápolis três vezes, seu pai ocupou cargos na Secretaria do Estado de Goiás duas vezes e teve um tio Governador – Meirelles iniciou a partir de então sua carreira política a qual se dedicou de 2002 a 2014.

Em 2002, Meirelles se candidatou a deputado federal em Goiás pelo PSDB e foi eleito com o maior número de votos no estado – 183 mil votos.

O seu sucesso eleitoral e o apoio do mercado financeiro internacional conquistado durante toda sua carreira profissional no setor privado, fizeram com que Meirelles fosse indicado pelo presidente Lula da Silva para ocupar o cargo de presidente do Banco Central do Brasil, adotando uma política liberal durante este período. Em 2003, Meirelles renunciou ao cargo de Deputado Federal em Goiás e desfiliou-se do PSDB para assumir a presidência do Banco Central do Brasil (BCB). Meirelles esteve a frente do BCB durante os oito anos de governo do Presidente Lula e, em novembro de 2010, anunciou a sua saída.

Em 2005, foi o primeiro presidente do BCB a obter formalmente o status de Ministro do Estado.

No início de 2010, Meirelles descartou uma possível candidatura ao Governo de Goiás pelo partido PMDB a pedido do presidente Lula, que lhe pediu para se dedicar ao comando do Banco Central até a data de desincompatibilização para concorrer a cargo eletivo, no início de abril de 2011.

Em 2011, três meses após o anúncio da sua saída do comando do Banco Central e a convite da presidente Dilma Rousseff, Meirelles assumiu o cargo no Conselho Público Olímpico. A função, com mandato de quatro anos, foi de coordenar todos os investimentos para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Com um orçamento de R$ 30 milhões, Meirelles atuou com autonomia na coordenação de obras federais, estaduais e municipais até 2014. Meirelles foi sucedido pela empresária Luiza Trajano.

Em outubro de 2011, Meirelles oficializou sua filiação ao PSD.

Em 2014, Meirelles foi convidado pelo candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, Paulo Skaf, para disputar o Senado Federal em sua chapa. Meirelles negou o pedido.

Em 2015, houve rumores de que Meirelles teria sido indicado pelo ex-presidente Lula para ser o Ministro da Fazenda no 2º mandato da presidente Dilma Rousseff, com início em Janeiro de 2015. Essa hipótese não se concretizou e Joaquim Levy assumiu o ministério.